quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Que dia mais marado...

Aloha!

Hoje tive pela primeira vez aulas de condução. Na rua. E já nem sei se me apetece conduzir mais.
Só de pensar em aulas de condução, a partir de hoje, sinto o estômago todo contraído de angustia. A sério.
Como foi o início, fomos para a zona da Bela Vista, que é o sitio ideal para principiantes começarem a conduzir, visto que é muito calmo e tem estradas largas e com pouco trânsito.

Tudo começa bem, até eu descobrir que sou mais descoordenada de pés do que o que eu pensava e até ter entrado em conflito interior sobre a função e aplicação da embraiagem. Para além disso, acho que o instrutor ficou chateado comigo, porque deixei o carro ir a baixo umas três vezes (nota mental: para travar, carrega na embraiagem a fundo primeiro senão o carro vai-se a baixo).
Para ajudar nesta linda festa, houve um cão que se atravessou na estrada e parou em frente ao carro. Ora que faria eu senão deixar o carro ir abaixo, após ter entrado em pânico e carregado somente no travão? Eu gosto tanto de cães!!! Porque é que ele me haveria de fazer uma coisa destas?


Enfim, espero que isto só aconteça agora no inicio, porque senão não há maneira de eu conduzir.

Para finalizar, fui visitar a minha avó ao hospital, porque ela foi operada ao joelho.
No quarto estava ela e mais 3 senhoras. Uma delas está constantemente e dizer coisas do género de "Acudam-me! Ai que eu morro já! Acudam-me que eu ainda estou na minha mocidade!" E isto sendo uma senhora de 90 e tal anos. Pronto, tudo bem, já teve uma vida inteira, e após 90 anos tem todo o direito de começar a delirar. Desde que isto não impeça os outros de dormir, e aparentemente têm de dar sedativos á senhora para ela se calar de noite, senão está sempre a pedir que a acudam. A "moça" estava lá sozinha e o meu avô foi ajudá-la a comer e só dizia " Sim, sim, vá cale-se." e punha uma garfada de puré na boca da mulher que continuava a dizer a mesma coisa, mesmo a comer.
 Mas a saga continuou, até sairmos e talvez neste momento ainda esteja a dizer as mesmas coisas... Ai a vida! Mesmo assim, quem dera á maior parte das pessoas chegar aos 90 e tal...


Nenhum comentário:

Postar um comentário