segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Cambada de animais

Olá a todos! Hoje o assunto que trago aqui á baila é um bocadinho mais sério do que o desastre em que consiste a minha vida. Ia eu muito alegremente a passear pelo Parque das Nações quando fui abordada por um senhor com um ar escultural e uma pele invejável (sim, é estranho, mas normalmente avalio a pele das pessoas - quem me vir, por favor não tente avaliar a minha, porque isto anda uma desgraça sem Sol).

Falou-me do Falun Dafa, que é um modo de vida chinês alternativo. Promove o bem-estar físico e mental, com exercícios, meditação e baseia-se em paixão, verdade e tolerância. Até aqui tudo bem. Parece perfeito para pessoas que não querem morrer com um ataque cardíaco. Na China é que a coisa fica séria.
Na China é muito popular e tem cerca de 100 milhões de praticantes e foi vista pelo partido comunista como uma ameaça ao poder, uma vez que encoraja o pensamento crítico e independente, pelo que em 1999 foi proibido: muitos praticantes foram capturados e torturados.
No início de 2006, descobriu-se que estes presos eram usados para efeitos de colheita de órgão, para mais tarde serem vendidos, uma vez que em geral se tratam de pessoas muito saudáveis, devido á prática do Falun Dafa. Para confirmar isto, verifica-se que cerca de 41500 órgãos não podem ser atribuídos a dadores. O transplante de orgãos é a própria execução das pessoas presas. Pessoas. Seres humanos.


Fiquei chocada, com a boca aberta durante cerca de 10min, e assinei todos os peditórios que havia para assinar (ok, temos que ler do que se trata sempre, e só depois assinar). Isto é inadmissível para o século XXI! Ridículo! As pessoas têm que saber o que se passa!


Não existem milagres, sei que não, mas se todos soubermos o que se passa, já é uma grande ajuda. Assinar baixo assinados e peditórios e falar sobre o assunto em vez de escolher a ignorância é um pequeno acto que pode fazer a diferença. E eu acredito mesmo nisto, não o digo por lamechice. 

Para saberem mais sobre esta situação, visitem o site do Falun Dafa aqui.

Um comentário: